quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

AMOR-TECIDO


sou uma ilha cercada de amores por todos os lados
sou um golfo cada vez mais dentro do teu continente
esquadrão sem excesso de contingente
corpo infante, fortaleza e um punhado de sonhos misturados
com os teus sei-os bem que me fazem atar-me
e a ti guardo em verso o inverso da minha sombra: Eu!
o contrário das minhas sobras: inteiro!

como Van Gogh à luz do sol em campos de centeio
meu corpo passeando em ti na hora do recreio
e te abraço feito brisa desejada em dia de calor intenso
luar em solo-espelho duplicando frente a frente,
cara a cara, boca e vulva...
[...sinto o torpor de teu delírio e incenso.]
ascensão! O meu amor se traduz como sonata soando em vitrola
como “alvorada” de Cartola
tal qual yng-yang em equilíbrio santo
um entender de amar em esperanto
arrebatamento, calmaria...


Fagão

2 comentários:

  1. Amor-tecer que passa longe de a.morte.ser, que é viver e viver pleno... belo e intenso... ;)

    ResponderExcluir